Como tirar ideias do papel

Autor: fernando

25 de abril de 2019

Já teve uma ideia genial e quis abrir sua própria empresa, mas não sabia nem como começar?! Ou talvez quis começar um projeto, a criação de um produto ou área nova, mas não sabia como estruturar essa ideia para apresentar aos decisores? Muitas pessoas passam por essa mesma dificuldade...

Essas questões abordam uma habilidade essencial para todo mundo que quer empreender ou “intraempreender”, que é conseguir tirar as ideias do papel! Essa habilidade não é necessariamente natural para todo mundo, mas pode ser desenvolvida.

Para ajudar nessa trajetória, queremos contar um pouquinho sobre como você pode tirar ideias do papel, usando como exemplo a história do Grupo Boticário para ilustrar esses passos. Apesar do texto ter uma linguagem voltada a criação de uma empresa, os princípios podem ser facilmente aplicados a outros casos.

O Grupo Boticário é formado por 5 marcas: O Boticário, Eudora, quem disse berenice?, Vult Cosmética e The Beauty Box. O Grupo, que hoje fabrica mais de 300 milhões de produtos por ano tem quase 4 mil pontos de venda, distribuídos em 1.750 cidades pelo Brasil e outros 11 países, além de uma operação de e-commerce. Até 2010, era apenas uma marca e nem sequer chamava “Grupo”. Mas como chegou a esse tamanho tão rápido?

Ideia

Tudo começa com uma ideia inicial.

O primeiro passo é sempre a ideia. Mas não pare por aí: faça um pequeno planejamento, e converse com mais gente, para ver o que as pessoas têm a dizer sobre o projeto (converse com amigos e profissionais que têm conhecimento sobre o assunto).

É interessante também identificar os interessados (não só os clientes), que são impactados de alguma forma pelo projeto, e conhecer os pré-requisitos para tirar a ideia do papel (saber os recursos necessários). Ex.: analisar se o projeto depende do governo, ou de alguma instituição desse tipo, e entender se precisa de algum tipo de documentação, permissão, etc.

Voltando para o paralelo com o Grupo Boticário:  depois de já ter uma grande marca com milhares de loja pelo Brasil e outros países do mundo e uma marca recém lançada de venda por catálogo (Eudora), entenderam que havia outras oportunidades no mercado e que poderiam novamente empreender, dentro da própria empresa. Vendo que havia uma demanda por uma loja especializada em maquiagem no Brasil (a ideia), passaram e pesquisar o mercado, discutiram com especialistas do segmento e potenciais clientes (converse com as pessoas) e viram que já tinham alguns dos pontos importantes dentro de casa, como a fábrica e uma rede de franqueados, mas precisariam investir em outros, como novos pontos de venda e expertise profunda na área. Assim, começou a criação da marca quem disse, berenice?, lançada em 2012 (recursos necessários).

Validação

Comece pequeno, depois escale

A única pessoa que pode avaliar se a ideia é realmente boa é o cliente! Saia e converse com potenciais clientes e valide a ideia, para ver se vale a pena investir tempo e dinheiro nisso. No caso de um projeto, veja se ele funciona em menor escala (também conhecido como MVP – “minimum viable product” ou “produto mínimo viável”), antes de realmente aplicá-lo na área ou empresa inteira.

Time

“Os pontos mais importantes do sucesso, daquilo que nós queremos atingir, nós atingimos através das pessoas” – Miguel Krigsner, fundador do Grupo Boticário

Encontre pessoas que também acreditam no projeto, com competências e habilidades complementares às suas. Existem 4 habilidades necessárias nesse início: gestão, tecnologia, operações e vendas.

Como comentado pelo próprio Miguel Krigsner: “… eu sempre tive uma proximidade muito grande com as pessoas que foram colaborando conosco durante toda essa trajetória. (…) Sempre fiquei muito próximo às pessoas que trabalham e que trabalharam comigo, porque acredito que a relação humana é um dos fatores mais importantes dentro da construção de qualquer coisa que a gente faça. (…) Os pontos mais importantes do sucesso, daquilo que nós queremos atingir, nós atingimos através das pessoas. Compartilhamos os nossos sonhos com elas, e através delas efetivamente realizamos os nossos sonhos, e os sonhos delas.”

Um bom exemplo é o caso da quem disse, berenice? que, ao definirem que era um projeto de alto potencial, teve como um dos primeiros passos buscar pessoas de referência no mercado para tirar essa iniciativa do papel, procurando pessoas que unissem fit cultural, conhecimento do setor e energia para criar uma nova marca.  

Sócios

Uma sociedade é como um casamento

De acordo com o Sebrae, desentendimento entre sócios é um dos principais motivos de falhas em startups. É importante buscar alguém que compartilhe da mesma visão de empresa, que queira atingir objetivos similares e que compartilhe dos seus valores. Por isso, tenha um acordo entre sócios (pense nisso como um “contrato pré-nupcial”), contendo os direitos e deveres de cada um, quais são as regras de saída da empresa, entre outras informações importantes de se ter desde o início.

Planeje as atividades e tenha datas de controle. Para conseguir efetivamente avançar nos projetos, é importante definir as atividades necessárias, e quebrar em partes menores para tornar a execução mais factível, definindo também um responsável para cada atividade. Assim como toda meta, as atividades devem ter datas limite, para controle do andamento do projeto (sem esquecer que muitas atividades e resultados não dependem somente da empresa, então leve em consideração o que depende de terceiros também).

Modelo de Negócios

Teste seu modelo de negócios e modifique-o até encontrar o formato ideal. É importante definir e acompanhar as métricas principais do negócio, para entender a melhor forma de operar para conseguir atingir as metas da empresa, e transformar o negócio em uma operação lucrativa. Esse não é o momento de escalar, mas sim de buscar o business model ideal.

Voltando rapidamente ao Grupo Boticário, ao trazer a marca quem disse, berenice? ao mercado, a empresa decidiu utilizar a rede já existente de franqueados, e oferecê-los a possibilidade de abrir uma loja da nova marca também. Dessa forma, o Grupo utilizava novamente o capital e know-how desses terceiros, com quem já tinha um relacionamento, para expansão. E o modelo segue evoluindo sempre. Hoje, os produtos da marca também estão entrando em outros canais, como farmácias, e, para seguir crescendo, já atravessou o Atlântico e também abriu lojas em Portugal.

Execução

Execução é o que faz a estratégia virar ação

Depois de encontrar o modelo de negócios ideal, é hora de pisar no acelerador. Esse é o momento de montar uma estratégia go-to-market para definir como a área comercial irá “atacar” o mercado e, caso necessário, criar um roadmap de produto detalhando as próximas atualizações e mudanças. Esse já é um bom momento para buscar investimento externo para acelerar o crescimento. No caso de um projeto, esse é o momento de aplicá-lo em larga escala dentro da companhia.

Em nosso exemplo, o modelo de negócios do quem disse, berenice? é principalmente o de franquias. O investimento de cada franqueado acelera o crescimento da marca e ajudou a empresa a atingir quase 250 lojas em pouco mais de 5 anos

Cultura

Crie uma cultura em que o propósito da empresa prevaleça, faça todos se sentirem parte do time, com a construção de um sonho coletivo. A cultura é o que dá a “cara” da empresa, e que ajuda a ter, desde um dia-a-dia de alta produtividade, até uma contratação mais precisa, com a atração e recrutamento dos talentos ideias para fazer a companhia prosperar.

Além da eficiência da operação, a cultura é essencial para a criação de um ambiente de trabalho positivo, com uma boa moral e colaboradores felizes. Não se limite ao trabalho, cultura também é saber as horas de cuidar do bem-estar dos funcionários, e reservar aquele momento para o happy hour e integração fora do trabalho.

No Grupo Boticário, a cultura é pautada em quatro pontos principais:

- Somos éticos

- Valorizamos pessoas e relações

- Paixão pela evolução e desafios

- Comprometimento com resultados

O grupo busca cada vez mais inovação e diversidade, pessoas que pensam diferente e querem integrar as estratégias de mudança e inovação rápida, como no mundo das startups.

Sonhe Grande

Sonhar pequeno e sonhar grande dá o mesmo trabalho!

Não satisfeito com o sucesso do “O Boticário”, o Grupo continuou expandindo, lançando a “Eudora” em 2011, e agregando as marcas “Quem Disse Berenice?” e “The Beauty Box” ao portfólio em 2012. Em 2018, consolidou a compra da “Vult”, diversificando e crescendo seu portfólio.

E agora, já sabe como iniciar a empresa que estava querendo, ou colocar em prática aquele projeto que estava há meses na gaveta? Esperamos que sim!

compartilhe:

Últimos Artigos

Tocar seus próprios projetos – como funciona na prática para o analista

Autonomia é uma das características mais procuradas por empresas de grande porte. Encontrar um colaborador que, além de compartilhar os valores éticos da empresa, consegue tocar seus projetos de maneira independente e competente, pode ser considerado um case de sucesso, quando o assunto for recrutamento e seleção. No Grupo Boticário, incentivamos a “autonomia com proximidade”. […]

CONTINUE LENDO

8 aprendizados sobre montar e organizar times com foco no cliente

Graduado em Administração de empresas, Filipe Ferrari entrou para o Grupo Boticário em 2010, como trainee. Durante a maior parte desse período, o administrador trabalhou no desenvolvimento de canais de venda direta e há aproximadamente 1 ano e meio mudou para a  área Comercial. O caminho trilhado por ele é mais um dos vários exemplos […]

CONTINUE LENDO

O que eu aprendi trabalhando na gestão de uma empresa nacional

Ocupar um cargo de gestão pode ser uma experiência enriquecedora para profissionais de diversas áreas. Viver uma dessas experiências em uma empresa nacional, do porte do Grupo Boticário, pode representar o empurrão que um profissional precisa para atingir níveis superiores de excelência. Para nos mostrar como essa vivência contribuiu para o desenvolvimento profissional de quem […]

CONTINUE LENDO