Carreira no Varejo – Principais Desafios e Oportunidades

Autor: fernando

29 de agosto de 2019

Uma ocupação para quem ficou desempregado e está em busca de algo mais promissor, uma forma de ganhar dinheiro enquanto um curso superior ou o ensino médio são concluídos, ou simplesmente a oportunidade que apareceu em um momento de pouco foco. Todas essas são formas bastante comuns de pensar, quando o assunto é: uma carreira no varejo.  É justamente para desmistificar o tema que criamos este conteúdo. 

Muito mais do que uma parada antes de um trabalho melhor, trilhar uma trajetória profissional no varejo pode ser cheio de realizações, como diversas outras profissões. Para provar nossa tese, conversamos com a Francine Peiter, Gerente de RH do CP Ginseng, em Maceió. Ela tem anos de experiência nessa área e vai nos mostrar os caminhos possíveis para quem sonha grande e se identifica com o segmento. 

Carreira no Varejo - Grandes Números

O primeiro argumento que pode desconstruir todas as motivações citadas acima é a grandiosidade do varejo brasileiro. De acordo com o estudo “300 Maiores Empresas do Varejo Brasileiro”, executado pela SBVC (Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo), O Brasil tem mais de 120 varejistas com faturamento acima de R$ 1 bilhão, 39 empresas com mais de 10 mil colaboradores e 17 com mais de mil lojas em funcionamento. Muito mais do que movimentar dinheiro, este segmento desafia a crise econômica que assola o país e continua gerando empregos. Esse cenário, por si só, é uma grande oportunidade para quem procura um brecha no nosso mercado desaquecido. 

Carreira no varejo - Desafios e Oportunidades

Logo no início da nossa conversa, Francine soltou a frase que norteará todo esse conteúdo: “Já faz tempo que varejo é profissão”.  Segundo a gerente de RH, aquelas velhas crenças de que: bastava ser simpático e saber lidar com o público para ser vendedor, e: ser de confiança era o principal requisito para um bom gerente, há muito tempo não servem mais. Para trilhar uma carreira no varejo e atingir um dos cobiçados cargos de gerência ou supervisão, é preciso se preparar, buscar conhecimento. Essa busca por conhecimento, necessária para quem quer se destacar neste universo, representa mais uma oportunidade: quem está disposto a correr atrás dos conhecimentos necessários, terá oportunidade de crescimento. 

O ideal é que um colaborador passe por todas as hierarquias disponíveis em uma loja, antes de chegar ao cargo de gerente. Esse caminho faz com que o profissional entenda todas as partes do negócio e consiga gerir sua equipe de maneira mais assertiva. As portas de entrada são os de estoquista e caixa. Um profissional que começar a sua trajetória dessa forma, com dedicação e preparo teórico, conseguirá chegar à gestão em 3 ou 4 anos, em média. Essa média leva em consideração que, antes de ser promovido para uma próxima função, um profissional precisa passar pelo menos 1 ano na anterior. 

O tempo necessário para que um profissional esteja efetivamente preparado para assumir o papel de gestor, é um dos principais desafios dos profissionais que têm este objetivo. É muito comum que os candidatos a gestores tenham pressa para assumir esses postos, porém, nenhum degrau pode ser ignorado e esse tempo é necessário para o desenvolvimento dos futuros gerentes.  

Esse caminho, como citamos, é o ideal, porém, nem sempre é possível. Em determinadas situações, é necessário buscar gerentes no mercado. Quando isso acontece, fica ainda mais clara a necessidade de investimentos em especializações e cursos. Os profissionais que passaram vários anos em lojas, muitas vezes prestigiadas, mas não buscaram informações em relação ao seu mercado, índices, técnicas de gestão de pessoas e de gestão financeira, acabam se tornando defasados. 

Após a gerência de uma loja, a hierarquia do varejo ainda conta com alguns degraus e oferece ainda mais oportunidades de evolução. É possível ser supervisor e, depois disso, um gerente regional. É importante deixar claro que, por se tratarem de cargos significativos e com grande carga de responsabilidade, a permanência em cada um deles pode ser maior do que nas funções anteriores.

Como se especializar?

Quando focamos nos profissionais que acabaram de entrar no Grupo Boticário, em cargos como de estoquista ou caixa, e que têm vontade de alcançar destaque na empresa, torna-se importante a busca por conhecimentos específicos como: Cursos de vendas,  estratégias de comunicação e planejamento de negócios. Outro diferencial é a noção do colaborador em relação ao que ocorre no mundo. O varejo é uma carreira dinâmica, que coloca pessoas em contato com diferentes temas e, por isso, a busca pela cultura é algo necessário. 

É necessário entender quais marcas afetam seus negócios, quais os produtos eles comercializam, quais são seus principais concorrentes, de que tipo de matéria prima depende a sua empresa, as expectativas de crescimento para os próximos meses. Tudo isso é fundamental. É preciso se entender como parte de um mercado. 

Para quem foca em cargos de gerência, formação superior também conta muitos pontos positivos. Apesar de já existirem graduações e pós-graduações especializadas em varejo, isso não é uma obrigatoriedade. Um gestor de uma loja ou até mesmo um supervisor ou gerente regional podem ter cursado diversos tipos de graduação, da psicologia à engenharia, o que deve ser encarado como mais um dos pontos positivos do segmento. 

É preciso gostar de pessoas!

Não olhar pessoas não é uma opção no Grupo Boticário. Por isso, gostar de se relacionar e, principalmente, saber lidar com gente, são as principais características de quem conseguirá construir um caminho bem sucedido no varejo.  Todos que trabalham em contato com o público precisam saber, além de se comunicar com facilidade, ouvir e entender o que o cliente quer. A tarefa, que representa mais um importante desafio deste caminho, muitas vezes o próprio cliente não sabe exatamente o que quer.

Quando chegamos aos cargos de gestão, essa qualidade se torna ainda mais necessária. Entender as particularidades, dificuldades e potenciais de cada membro do seu time, é a parte mais importante no trabalho de um gerente.  Empatia deve ser mais do que uma palavra, ela precisa ser um hábito. 

Uma última dica

Quem quer entrar para o varejo, além do talento com pessoas e dos conhecimentos técnicos, é preciso ter brilho nos olhos sempre que falar sobre o trabalho. É necessário amar o universo da beleza e o que ele pode fazer de bom pela vida dos clientes. Lembre-se sempre: O brilho nos olhos é o ingrediente principal! 

Fique atento às nossas publicações, continuaremos abordando temas relevantes para quem, como nós, é apaixonado pelo universo da beleza e sonha em fazer parte desse mundo dinâmico e cheio de possibilidades. 

Leia também Conheça três livros que vão contribuir para o seu desenvolvimento profissional e Intraempreendedorismo: você leva para seu desenvolvimento profissional?

compartilhe:

Últimos Artigos

Tocar seus próprios projetos – como funciona na prática para o analista

Autonomia é uma das características mais procuradas por empresas de grande porte. Encontrar um colaborador que, além de compartilhar os valores éticos da empresa, consegue tocar seus projetos de maneira independente e competente, pode ser considerado um case de sucesso, quando o assunto for recrutamento e seleção. No Grupo Boticário, incentivamos a “autonomia com proximidade”. […]

CONTINUE LENDO

8 aprendizados sobre montar e organizar times com foco no cliente

Graduado em Administração de empresas, Filipe Ferrari entrou para o Grupo Boticário em 2010, como trainee. Durante a maior parte desse período, o administrador trabalhou no desenvolvimento de canais de venda direta e há aproximadamente 1 ano e meio mudou para a  área Comercial. O caminho trilhado por ele é mais um dos vários exemplos […]

CONTINUE LENDO

O que eu aprendi trabalhando na gestão de uma empresa nacional

Ocupar um cargo de gestão pode ser uma experiência enriquecedora para profissionais de diversas áreas. Viver uma dessas experiências em uma empresa nacional, do porte do Grupo Boticário, pode representar o empurrão que um profissional precisa para atingir níveis superiores de excelência. Para nos mostrar como essa vivência contribuiu para o desenvolvimento profissional de quem […]

CONTINUE LENDO